cada coisa em seu lugar, 2010-2020

Um objeto que a primeira vista parece um animal mas não tem vida. O olho de vidro, a matéria gasta, a composição da imagem denunciam o presença de um objeto, que parece o animal que já foi.

Na tentativa de fazer uma fotografia de registro, isenta de interpretação, no fundo branco fico na dúvida se é a prova de um animal que existiu ou se é a fotografia da prova de existência.

O processo de taxidermia, retira a pele do animal sem vida e a transfere para um manequim de poliuretano, no mesmo formato do corpo vivo.

Assim como a fotografia, a taxidermia nos induz a uma verdade construída, e se o corpo de poliuretano onde a pele agora reside não fosse igual ao de onde ela foi retirada ?

A única certeza é que aquela pele existe sobre um manequim, como na fotografia o fotografado existiu, mas todo o resto é construído pelo observador.

baixe a apresentação